datetime — Tipos básicos de data e hora

Código-fonte: Lib/datetime.py


O módulo datetime fornece as classes para manipulação de datas e horas.

Ainda que a aritmética de data e hora seja suportada, o foco da implementação é na extração eficiente do atributo para formatação da saída e manipulação.

Ver também

Módulo calendar

Funções gerais relacionadas ao calendário.

Módulo time

Acesso de hora e conversões.

Pacote dateutil

Biblioteca de terceiros com fuso horário expandido e suporte à análise.

Objetos Conscientes e Ingênuos

Objetos de data e hora podem ser categorizados como “consciente” ou “ingênuo” dependendo se eles incluem ou não informação sobre fuso horário.

Com conhecimento suficiente dos ajustes de tempo algorítmicos e políticos aplicáveis, como informações de fuso horário e horário de verão, um objeto consciente pode se localizar em relação a outros objetos conscientes. Um objeto consciente representa um momento específico no tempo que não está aberto à interpretação. 1

Um objeto ingênuo não contém informações suficientes para se localizar inequivocamente em relação a outros objetos de data/hora. Se um objeto ingênuo representa o Coordinated Universal Time (UTC), a hora local, ou a hora em algum outro fuso horário, isso depende exclusivamente do programa, assim como é tarefa do programa decidir se um número específico representa metros, milhas ou massa. Objetos ingênuos são fáceis de entender e trabalhar, com o custo de ignorar alguns aspectos da realidade.

Para aplicativos que requerem objetos conscientes, os objetos datetime e time possuem um atributo opcional de informações do fuso horário, tzinfo, que pode ser definido como uma instância de uma subclasse da classe abstrata tzinfo. Esses objetos tzinfo capturam informações sobre a diferença da hora UTC, o nome do fuso horário e se o horário de verão está em vigor.

Somente uma classe concreta tzinfo, a classe timezone, é fornecida pelo módulo datetime. A classe timezone pode representar fusos horários simples com diferenças fixas do UTC, como o próprio UTC, ou os fusos horários norte-americanos EST e EDT. O suporte a fusos horários em níveis mais detalhados depende da aplicação. As regras para ajuste de tempo em todo o mundo são mais políticas do que racionais, mudam com frequência e não há um padrão adequado para todas as aplicações além da UTC.

Constantes

O módulo datetime exporta as seguintes constantes:

datetime.MINYEAR

O menor número de ano permitido em um objeto date ou datetime. MINYEAR é 1.

datetime.MAXYEAR

O maior número de ano permitido no objeto date ou datetime. MAXYER é 9999.

Tipos disponíveis

class datetime.date

Uma data ingênua idealizada, presumindo que o atual calendário Gregoriano sempre foi, e sempre estará em vigor. Atributos: year, month, e day.

class datetime.time

Um horário ideal, independente de qualquer dia em particular, presumindo que todos os dias tenham exatamente 24*60*60 segundos. (Não há noção de “segundos bissextos” aqui.) Atributos: hour, minute, second, microsecond e tzinfo.

class datetime.datetime

Uma combinação de uma data e uma hora. Atributos: year, month, day, hour, minute, second, microsecond, e tzinfo.

class datetime.timedelta

Uma duração que expressa a diferença entre duas instâncias date, time ou datetime para resolução de microssegundos.

class datetime.tzinfo

Uma classe base abstrata para objetos de informações de fuso horário. Eles são usados pelas classes datetime e time para fornecer uma noção personalizável de ajuste de horário (por exemplo, para considerar o fuso horário e/ou o horário de verão).

class datetime.timezone

Uma classe que implementa a classe base abstrata tzinfo como uma diferença fixa do UTC.

Novo na versão 3.2.

Objetos desse tipo são imutáveis.

Relacionamentos de subclasse:

object
    timedelta
    tzinfo
        timezone
    time
    date
        datetime

Propriedades Comuns

Os tipos date, datetime, time e timezone compartilham esses recursos comuns:

  • Objetos desse tipo são imutáveis.

  • Objetos desses tipos são hasheáveis, o que significa que podem ser usados como chaves de dicionário.

  • Objetos desse tipo suportam decapagem eficiente através do módulo pickle.

Determinando se um Objeto é Consciente ou Ingênuo

Objetos do tipo date são sempre ingênuos.

Um objeto do tipo time ou datetime pode ser consciente ou ingênuo.

O objeto datetime d é consciente se ambos os seguintes itens forem verdadeiros:

  1. d.tzinfo não é None

  2. d.tzinfo.utcoffset(d) não retorna None

Caso contrário, d é ingênuo.

O objeto time t é consciente, se os seguintes itens são verdadeiros:

  1. t.tzinfo não é None

  2. t.tzinfo.utcoffset(None) não retorna None.

Caso contrário, t é ingênuo.

A distinção entre consciente e ingênuo não se aplica a objetos timedelta.

Objetos timedelta

O objeto timedelta representa uma duração, a diferença entre duas datas ou horas.

class datetime.timedelta(days=0, seconds=0, microseconds=0, milliseconds=0, minutes=0, hours=0, weeks=0)

Todos os argumentos são opcionais e o padrão é 0. Os argumentos podem ser números inteiros ou ponto flutuantes, e podem ser positivos ou negativos.

Apenas dias, segundos e microssegundos são armazenados internamente. Os argumentos são convertidos para essas unidades:

  • Um milissegundo é convertido em 1000 microssegundos.

  • Um minuto é convertido em 60 segundos.

  • Uma hora é convertida em 3600 segundos.

  • Uma semana é convertida para 7 dias.

e dias, segundos e microssegundos são normalizados para que a representação seja única, com

  • 0 <= microseconds < 1000000

  • 0 <= seconds < 3600*24 (o número de segundos em um dia)

  • -999999999 <= days <= 999999999

O exemplo a seguir ilustra como quaisquer argumentos além de dias, segundos e microssegundos são “mesclados” e normalizados nos três atributos resultantes:

>>> from datetime import timedelta
>>> delta = timedelta(
...     days=50,
...     seconds=27,
...     microseconds=10,
...     milliseconds=29000,
...     minutes=5,
...     hours=8,
...     weeks=2
... )
>>> # Only days, seconds, and microseconds remain
>>> delta
datetime.timedelta(days=64, seconds=29156, microseconds=10)

Se qualquer argumento for um ponto flutuante e houver microssegundos fracionários, os microssegundos fracionários restantes de todos os argumentos serão combinados e sua soma será arredondada para o microssegundo mais próximo usando o desempatador de metade da metade para o par. Se nenhum argumento é ponto flutuante, os processos de conversão e normalização são exatos (nenhuma informação é perdida).

Se o valor normalizado de dias estiver fora do intervalo indicado, OverflowError é gerado.

Observe que a normalização de valores negativos pode ser surpreendente a princípio. Por exemplo:

>>> from datetime import timedelta
>>> d = timedelta(microseconds=-1)
>>> (d.days, d.seconds, d.microseconds)
(-1, 86399, 999999)

Atributos de classe:

timedelta.min

O mais negativo objeto timedelta, timedelta(-999999999).

timedelta.max

O mais positivo objeto timedelta, timedelta(days=999999999, hours=23, minutes=59, seconds=59, microseconds=999999).

timedelta.resolution

A menor diferença possível entre objetos não iguais timedelta, timedelta(microseconds=1).

Observe que, devido à normalização, timedelta.max > -timedelta.min. -timedelta.max não é representável como um objeto timedelta.

Atributos de instância (somente leitura):

Atributo

Valor

days

Entre -999999999 e 999999999 inclusive

seconds

Entre 0 e 86399 inclusive

microseconds

Entre 0 e 999999 inclusive

Operações suportadas:

Operação

Resultado

t1 = t2 + t3

Soma de t2 e t3. Depois t1-t2 == t3 e t1-t3 == t2 são verdadeiros. (1)

t1 = t2 - t3

Diferença de t2 e t3. Depois t1 == t2 - t3 e t2 == t1 + t3 são verdadeiros (1)(6)

t1 = t2 * i or t1 = i * t2

Delta multiplicado por um número inteiro. Depois t1 // i == t2 é verdadeiro, desde que i != 0.

Em geral, t1 * i == t1 * (i-1) + t1 é verdadeiro. (1)

t1 = t2 * f or t1 = f * t2

Delta multiplicado por um float, ponto flutuante. O resultado é arredondado para o múltiplo mais próximo de timedelta.resolution usando a metade da metade para o par.

f = t2 / t3

Divisão (3) da duração total t2 por unidade de intervalo t3. Retorna um objeto float.

t1 = t2 / f or t1 = t2 / i

Delta dividido por um float ou um int. O resultado é arredondado para o múltiplo mais próximo de timedelta.resolution usando a metade da metade para o par.

t1 = t2 // i or t1 = t2 // t3

O piso é calculado e o restante (se houver) é jogado fora. No segundo caso, um número inteiro é retornado. (3)

t1 = t2 % t3

O restante é calculado como um objeto timedelta. (3)

q, r = divmod(t1, t2)

Calcula o quociente e o restante: q = t1 // t2 (3) e r = t1% t2. q é um número inteiro e r é um objeto timedelta.

+t1

Retorna um objeto timedelta com o mesmo valor. (2)

-t1

equivalente a timedelta(-t1.days, -t1.seconds, -t1.microseconds), e a t1* -1. (1)(4)

abs(t)

equivalente a + t quando t.days >= 0, e a - t quando t.days < 0. (2)

str(t)

Retorna uma string no formato [D day[s], ][H]H:MM:SS[.UUUUUU], onde D é negativo para t negativo. (5)

repr(t)

Retorna uma representação em string do objeto timedelta como uma chamada do construtor com valores de atributos canônicos.

Notas:

  1. Isso é exato, mas pode transbordar.

  2. Isso é exato e não pode transbordar.

  3. A divisão por 0 levanta ZeroDivisionError.

  4. -timedelta.max não é representável como um objeto timedelta.

  5. As representações de string de objetos timedelta são normalizadas de maneira semelhante à sua representação interna. Isso leva a resultados um tanto incomuns para timedeltas negativos. Por exemplo:

    >>> timedelta(hours=-5)
    datetime.timedelta(days=-1, seconds=68400)
    >>> print(_)
    -1 day, 19:00:00
    
  6. A expressão t2 - t3 sempre será igual à expressão t2 + (-t3) exceto quando t3 for igual a timedelta.max; nesse caso, o primeiro produzirá um resultado enquanto o último transbordará.

Além das operações listadas acima, os objetos timedelta suportam certas adições e subtrações com os objetos date e datetime (veja abaixo).

Alterado na versão 3.2: A divisão pelo piso e a divisão verdadeira de um objeto timedelta por outro objeto timedelta agora são suportadas, assim como as operações restantes e a função divmod(). A verdadeira divisão e multiplicação de um objeto timedelta por um objeto float agora são suportadas.

Comparações de objetos timedelta são suportadas, com algumas ressalvas.

As comparações == ou != sempre retornam um bool, não importa o tipo do objeto comparado:

>>> from datetime import timedelta
>>> delta1 = timedelta(seconds=57)
>>> delta2 = timedelta(hours=25, seconds=2)
>>> delta2 != delta1
True
>>> delta2 == 5
False

Para todas as outras comparações (tais como < e >), quando um objeto timedelta é comparado a um objeto de um tipo diferente, TypeError é levantada:

>>> delta2 > delta1
True
>>> delta2 > 5
Traceback (most recent call last):
  File "<stdin>", line 1, in <module>
TypeError: '>' not supported between instances of 'datetime.timedelta' and 'int'

Em contexto booleano, um objeto timedelta é considerado verdadeiro se, e somente se, não for igual a timedelta(0).

Métodos de instância:

timedelta.total_seconds()

Retorna o número total de segundos contidos na duração. Equivalente a td / timedelta(seconds=1). Para unidades de intervalo diferentes de segundos, use a forma de divisão diretamente (por exemplo td / timedelta(microseconds=1)).

Observe que, em intervalos de tempo muito grandes (mais de 270 anos na maioria das plataformas), esse método perde a precisão de microssegundos.

Novo na versão 3.2.

Exemplos de uso: timedelta

Um exemplo adicional de normalização:

>>> # Components of another_year add up to exactly 365 days
>>> from datetime import timedelta
>>> year = timedelta(days=365)
>>> another_year = timedelta(weeks=40, days=84, hours=23,
...                          minutes=50, seconds=600)
>>> year == another_year
True
>>> year.total_seconds()
31536000.0

Exemplos de aritmética com timedelta:

>>> from datetime import timedelta
>>> year = timedelta(days=365)
>>> ten_years = 10 * year
>>> ten_years
datetime.timedelta(days=3650)
>>> ten_years.days // 365
10
>>> nine_years = ten_years - year
>>> nine_years
datetime.timedelta(days=3285)
>>> three_years = nine_years // 3
>>> three_years, three_years.days // 365
(datetime.timedelta(days=1095), 3)

Objetos date

O objeto date representa uma data (ano, mês e dia) em um calendário idealizado, o atual calendário Gregoriano estendido indefinidamente em ambas as direções.

1º de janeiro do ano 1 é chamado de dia número 1, 2º de janeiro do ano 1 é chamado de dia número 2, e assim por diante. 2

class datetime.date(year, month, day)

Todos os argumentos são obrigatórios. Os argumentos devem ser números inteiros, nos seguintes intervalos:

  • MINYEAR <= year <= MAXYEAR

  • 1 <= month <= 12

  • 1 <= day <= número de dias no mês e ano fornecidos

Se um argumento fora desses intervalos for fornecido, ValueError é levantado.

Outros construtores, todos os métodos de classe.

classmethod date.today()

Retorna a data local atual.

Isso é equivalente a date.fromtimestamp(time.time()).

classmethod date.fromtimestamp(timestamp)

Retorna a data local correspondente ao registro de data e hora do POSIX, como é retornado por time.time().

Isso pode levantar OverflowError, se o timestamp estiver fora do intervalo de valores suportados pela função C localtime() da plataforma, e em caso de falha OSError em localtime(). É comum que isso seja restrito a anos de 1970 a 2038. Observe que, em sistemas não POSIX que incluem segundos bissextos na sua notação de timestamp, os segundos bissextos são ignorados por fromtimestamp().

Alterado na versão 3.3: Levanta OverflowError ao invés de ValueError se o timestamp estiver fora do intervalo de valores suportados pela plataforma C localtime() função. Levanta OSError ao invés de ValueError em falha de localtime() .

classmethod date.fromordinal(ordinal)

Retorna a data correspondente ao ordinal proléptico gregoriano, considerando que 1º de janeiro do ano 1 tem o ordinal 1.

ValueError é levantado, a menos que 1 <= ordinal <= date.max.toordinal(). Para qualquer data d, date.fromordinal(d.toordinal()) == d.

classmethod date.fromisoformat(date_string)

Retorna um date correspondendo a date_string fornecido no formato YYYY-MM-DD:

>>> from datetime import date
>>> date.fromisoformat('2019-12-04')
datetime.date(2019, 12, 4)

Isto é o inverso de date.isoformat(). Ele suporta apenas o formato YYYY-MM-DD.

Novo na versão 3.7.

classmethod date.fromisocalendar(year, week, day)

Retorna um objeto date correspondendo a data em calendário ISO especificada por year, week e day. Esta é o inverso da função date.isocalendar().

Novo na versão 3.8.

Atributos de classe:

date.min

A data representável mais antiga, date(MINYEAR, 1, 1).

date.max

A data representável mais tardia, date(MAXYEAR, 12, 31).

date.resolution

A menor diferença possível entre objetos date não iguais, timedelta(days=1).

Atributos de instância (somente leitura):

date.year

Entre MINYEAR e MAXYEAR incluindo extremos.

date.month

Entre 1 e 12 incluindo extremos.

date.day

Entre 1 e o número de dias no mês especificado do ano especificado.

Operações suportadas:

Operação

Resultado

date2 = date1 + timedelta

date2 é timedelta.days dias removidos de date1. (1)

date2 = date1 - timedelta

Computa date2 de modo que date2 + timedelta == date1. (2)

timedelta = date1 - date2

(3)

date1 < date2

date1 é considerada menor que date2 quando date1 precede date2 no tempo. (4)

Notas:

  1. date2 é movida para frente no tempo se timedelta.days > 0, ou para trás se timedelta.days < 0. Posteriormente date2 - date1 == timedelta.days. timedelta.seconds e timedelta.microseconds são ignorados. OverflowError é levantado se date2.year for menor que MINYEAR ou maior que MAXYEAR.

  2. timedelta.seconds e timedelta.microseconds são ignoradas.

  3. Isso é exato e não pode estourar. timedelta.seconds e timedelta.microseconds são 0, e date2 + timedelta == date1 depois.

  4. Em outras palavras, date1 < date2 se e somente se date1.toordinal() < date2.toordinal(). Comparação de dadas levanta TypeError se o outro comparando não é também um objeto date. Entretanto, NotImplemented é retornado ao invés se o outro comparando tem um atributo timetuple(). Esse gancho fornece a outros tipos de objetos de datas uma chance de implementar comparações de tipo misto. Se não, quando um objeto date é comparado com um objeto de tipo diferente, TypeError é levantado a não ser que a comparação seja == ou !=. Os últimos casos retornam False ou True, respectivamente.

Em contextos booleanos, todo objeto date é considerado verdadeiro.

Métodos de instância:

date.replace(year=self.year, month=self.month, day=self.day)

Retorna uma data com o mesmo valor, exceto por aqueles parâmetros que receberam novos valores, por quaisquer argumentos nomeados especificados.

Exemplo:

>>> from datetime import date
>>> d = date(2002, 12, 31)
>>> d.replace(day=26)
datetime.date(2002, 12, 26)
date.timetuple()

Retorna uma time.struct_time tal como retornado por time.localtime().

As horas, minutos e segundos são 0, e o sinalizador de horário de verão é -1.

d.timetuple() é equivalente a:

time.struct_time((d.year, d.month, d.day, 0, 0, 0, d.weekday(), yday, -1))

no qual yday = d.toordinal() - date(d.year, 1, 1).toordinal() + 1 é o número do dia dentro do ano atual, começando com 1 para 1º de janeiro.

date.toordinal()

Retorna o ordinal proléptico gregoriano da data, considerando que 1º de janeiro do ano 1 tem o ordinal 1. Para qualquer objeto date d, date.fromordinal(d.toordinal()) == d.

date.weekday()

Retorna o dia da semana como um inteiro, onde Segunda é 0 e Domingo é 6. Por exemplo, date(2002, 12, 4).weekday() == 2, uma Quarta-feira. Veja também isoweekday().

date.isoweekday()

Retorna o dia da semana como um inteiro, onde Segunda é 1 e Domingo é 7. Por exemplo, date(2002, 12, 4).isoweekday() == 3, uma Quarta-feira. Veja também weekday(), isocalendar().

date.isocalendar()

Retorna um objeto tupla nomeada com três componentes: year, week e weekday.

O calendário ISO é uma variação amplamente usada do calendário gregoriano. 3

O ano ISO consiste de 52 ou 53 semanas completas, e onde uma semana começa na segunda-feira e termina no domingo. A primeira semana de um ano ISO é a primeira semana no calendário (Gregoriano) de um ano contendo uma quinta-feira. Isso é chamado de semana número 1, e o ano ISO dessa quinta-feira é o mesmo que o seu ano Gregoriano.

Por exemplo, 2004 começa em uma quinta-feira, então a primeira semana do ano ISO 2004 começa na segunda-feira, 29 de dezembro de 2003, e termina no domingo, 4 de janeiro de 2004:

>>> from datetime import date
>>> date(2003, 12, 29).isocalendar()
datetime.IsoCalendarDate(year=2004, week=1, weekday=1)
>>> date(2004, 1, 4).isocalendar()
datetime.IsoCalendarDate(year=2004, week=1, weekday=7)

Alterado na versão 3.9: Resultado alterado de uma tupla para uma tupla nomeada.

date.isoformat()

Retorna uma string representando a data no formato ISO 8601, YYYY-MM-DD:

>>> from datetime import date
>>> date(2002, 12, 4).isoformat()
'2002-12-04'

Esse é o inverso do método date.isoformat().

date.__str__()

Para uma data d, str(d) é equivalente a d.isoformat().

date.ctime()

Retorna uma string representando a data:

>>> from datetime import date
>>> date(2002, 12, 4).ctime()
'Wed Dec  4 00:00:00 2002'

d.ctime() é equivalente a:

time.ctime(time.mktime(d.timetuple()))

em plataformas em que a função C nativa ctime() (que é invocada pela função time.ctime(), mas não pelo método date.ctime()) se conforma com o padrão C.

date.strftime(format)

Retorna uma string representando a data, controlado por uma string explícita de formatação. Códigos de formatação referenciando horas, minutos ou segundos irão ver valores 0. Para uma lista completa de diretivas de formatação, veja Comportamento de strftime() e strptime().

date.__format__(format)

O mesmo que date.strftime(). Isso torna possível especificar uma string de formatação para o objeto date em literais de string formatados e ao usar str.format(). Para uma lista completa de diretivas de formatação, veja Comportamento de strftime() e strptime().

Exemplos de uso: date

Exemplo de contagem de dias para um evento:

>>> import time
>>> from datetime import date
>>> today = date.today()
>>> today
datetime.date(2007, 12, 5)
>>> today == date.fromtimestamp(time.time())
True
>>> my_birthday = date(today.year, 6, 24)
>>> if my_birthday < today:
...     my_birthday = my_birthday.replace(year=today.year + 1)
>>> my_birthday
datetime.date(2008, 6, 24)
>>> time_to_birthday = abs(my_birthday - today)
>>> time_to_birthday.days
202

Mais exemplos de uso da classe date:

>>> from datetime import date
>>> d = date.fromordinal(730920) # 730920th day after 1. 1. 0001
>>> d
datetime.date(2002, 3, 11)

>>> # Methods related to formatting string output
>>> d.isoformat()
'2002-03-11'
>>> d.strftime("%d/%m/%y")
'11/03/02'
>>> d.strftime("%A %d. %B %Y")
'Monday 11. March 2002'
>>> d.ctime()
'Mon Mar 11 00:00:00 2002'
>>> 'The {1} is {0:%d}, the {2} is {0:%B}.'.format(d, "day", "month")
'The day is 11, the month is March.'

>>> # Methods for to extracting 'components' under different calendars
>>> t = d.timetuple()
>>> for i in t:     
...     print(i)
2002                # year
3                   # month
11                  # day
0
0
0
0                   # weekday (0 = Monday)
70                  # 70th day in the year
-1
>>> ic = d.isocalendar()
>>> for i in ic:    
...     print(i)
2002                # ISO year
11                  # ISO week number
1                   # ISO day number ( 1 = Monday )

>>> # A date object is immutable; all operations produce a new object
>>> d.replace(year=2005)
datetime.date(2005, 3, 11)

Objetos datetime

Um objeto datetime é um único objeto contendo todas as informações de um objeto date e um objeto time.

Assim como um objeto date, datetime assume o atual calendário Gregoriano estendido em ambas as direções; assim como um objeto time, datetime assume que existem exatamente 3600*24 segundos em cada dia.

Construtor:

class datetime.datetime(year, month, day, hour=0, minute=0, second=0, microsecond=0, tzinfo=None, *, fold=0)

Os argumentos year, month e day são obrigatórios. tzinfo pode ser None, ou uma instância de subclasse de tzinfo. Os argumentos remanescentes devem ser inteiros nos seguintes intervalos:

  • MINYEAR <= year <= MAXYEAR,

  • 1 <= month <= 12,

  • 1 <= day <= número de dias no mês e ano fornecidos,

  • 0 <= hour < 24,

  • 0 <= minute < 60,

  • 0 <= second < 60,

  • 0 <= microsecond < 1000000,

  • fold in [0, 1].

Se um argumento fora desses intervalos for fornecido, ValueError é levantado.

Novo na versão 3.6: Adicionado o argumento fold.

Outros construtores, todos os métodos de classe.

classmethod datetime.today()

Retorna o datetime local atual, com o atributo tzinfo setado para None.

Equivalente a:

datetime.fromtimestamp(time.time())

Veja também now(), fromtimestamp().

Este método é funcionalmente equivalente a now(), mas sem um parâmetro tz.

classmethod datetime.now(tz=None)

Retorna a data e hora local atual.

Se o argumento opcional tz é None ou não especificado, isto é o mesmo que today(), mas, se possível, fornece mais precisão do que pode ser obtido indo por um timestamp time.time() (por exemplo, isto pode ser possível em plataformas que fornecem a função C gettimeofday()).

Se tz não for None, ele deve ser uma instância de uma subclasse de tzinfo, e a data e hora local atual são convertidas para o fuso horário de tz.

Esta função é preferida ao invés de today() e utcnow().

classmethod datetime.utcnow()

Retorna a data e hora atual em UTC, com tzinfo como None.

Este é similar a now(), mas retorna a data e hora atual em UTC, como um objeto datetime ingênuo. Um datetime UTC consciente pode ser obtido chamando datetime.now(timezone.utc). Veja também now().

Aviso

Devido ao fato de objetos datetime ingênuos serem tratados por muitos métodos datetime como hora local, é preferível usar datetimes conscientes para representar horas em UTC. De tal forma, a maneira recomendada para criar um objeto representando a hora local em UTC é chamando datetime.now(timezone.utc).

classmethod datetime.fromtimestamp(timestamp, tz=None)

Retorna a data e hora local correspondente ao timestamp POSIX, como é retornado por time.time(). Se o argumento opcional tz é None ou não especificado, o timestamp é convertido para a data e hora local da plataforma, e o objeto datetime retornado é ingênuo.

Se tz não for None, ela deve ser uma instância de uma subclasse de tzinfo, e o timestamp é convertido para o fuso horário de tz.

fromtimestamp() pode levantar OverflowError, se o timestamp estiver fora do intervalo de valores suportados pelas funções em C localtime() ou gmtime() da plataforma, e ocorrer uma falha de OSError em localtime() ou gmtime(). É comum para isso ser restrito aos anos 1970 até 2038. Perceba que em sistemas não-POSIX que incluem segundos bissextos na sua notação de timestamp, segundos bissextos são ignorados por fromtimestamp(), e então é possível ter dois timestamps com diferença de um segundo que apresentam objetos datetime idênticos. Este método é preferido sobre utcfromtimestamp().

Alterado na versão 3.3: Levanta um OverflowError ao invés de ValueError se o timestamp estiver fora do intervalo dos valores suportados pelas funções C localtime() ou gmtime() da plataforma. Levanta OSError ao invés de ValueError em falhas de localtime() ou gmtime().

Alterado na versão 3.6: fromtimestamp() pode retornar instâncias com fold igual a 1.

classmethod datetime.utcfromtimestamp(timestamp)

Retorna o datetime UTC correspondente ao timestamp POSIX, com tzinfo setado para None. (O objeto resultante é ingênuo.)

Isso pode levantar OverflowError, se o timestamp estiver fora do intervalo de valores suportados pela função C gmtime() da plataforma, e em caso de falha OSError em gmtime(). É comum que isso seja restrito a anos de 1970 a 2038.

Para conseguir um objeto datetime consciente, chame fromtimestamp():

datetime.fromtimestamp(timestamp, timezone.utc)

Nas plataformas compatíveis com POSIX, é equivalente à seguinte expressão:

datetime(1970, 1, 1, tzinfo=timezone.utc) + timedelta(seconds=timestamp)

com a exceção de que a última fórmula sempre dá suporte ao intervalo completo de anos: entre MINYEAR e MAXYEAR inclusive.

Aviso

Devido ao fato de objetos datetime ingênuos serem tratados por muitos métodos datetime como hora local, é preferível usar datetimes conscientes para representar horas em UTC. De tal forma, a maneira recomendada para criar um objeto representando um timestamp específico em UTC é chamando datetime.fromtimestamp(timestamp, tz=timezone.utc).

Alterado na versão 3.3: Levanta OverflowError ao invés de ValueError se o timestamp estiver fora do intervalo de valores suportados pela função C gmtime() da plataforma. Levanta OSError ao invés de ValueError em caso de falha gmtime().

classmethod datetime.fromordinal(ordinal)

Retorna um datetime correspondente ao ordinal proléptico Gregoriano, onde 1º de janeiro do ano 1 tem ordinal 1. ValueError é levantado a não ser que 1 <= ordinal <= datetime.max.toordinal(). As horas, minutos, segundos e micro segundos do resultado são todos 0, e tzinfo é None.

classmethod datetime.combine(date, time, tzinfo=self.tzinfo)

Retorna um novo objeto datetime no qual os componentes de data são iguais ao objeto date fornecido, e nos quais os componentes de hora são iguais ao do objeto time fornecido. Se o argumento tzinfo é fornecido, seu valor é usado para definir o atributo tzinfo do resultado, caso contrário o atributo tzinfo do argumento time é usado.

Para qualquer objeto datetime d, d == datetime.combine(d.date(), d.time(), d.tzinfo). Se date é um objeto datetime, seus componentes de hora e atributos tzinfo são ignorados.

Alterado na versão 3.6: Adicionado o argumento tzinfo.

classmethod datetime.fromisoformat(date_string)

Retorna um datetime correspondente ao date_string em um dos formatos emitidos pelo date.isoformat() e datetime.isoformat().

Especificamente, essa função dá suporte a strings nesse formato:

YYYY-MM-DD[*HH[:MM[:SS[.fff[fff]]]][+HH:MM[:SS[.ffffff]]]]

em que * pode corresponder a qualquer caractere único.

Cuidado

Isso não suporta a análise de strings ISO 8601 arbitrárias - serve apenas como a operação inversa do datetime.isoformat(). Um analisador sintático ISO 8601 mais completo, dateutil.parser.isoparse, está disponível no pacote externo dateutil.

Exemplos:

>>> from datetime import datetime
>>> datetime.fromisoformat('2011-11-04')
datetime.datetime(2011, 11, 4, 0, 0)
>>> datetime.fromisoformat('2011-11-04T00:05:23')
datetime.datetime(2011, 11, 4, 0, 5, 23)
>>> datetime.fromisoformat('2011-11-04 00:05:23.283')
datetime.datetime(2011, 11, 4, 0, 5, 23, 283000)
>>> datetime.fromisoformat('2011-11-04 00:05:23.283+00:00')
datetime.datetime(2011, 11, 4, 0, 5, 23, 283000, tzinfo=datetime.timezone.utc)
>>> datetime.fromisoformat('2011-11-04T00:05:23+04:00')   
datetime.datetime(2011, 11, 4, 0, 5, 23,
    tzinfo=datetime.timezone(datetime.timedelta(seconds=14400)))

Novo na versão 3.7.

classmethod datetime.fromisocalendar(year, week, day)

Retorna um datetime correspondente à data no calendário ISO especificada por year, week e day. Os componentes não-data do datetime são preenchidos normalmente com seus valores padrões. Isso é o inverso da função datetime.isocalendar().

Novo na versão 3.8.

classmethod datetime.strptime(date_string, format)

Retorna um datetime correspondente ao date_string, analisado de acordo com format.

Isto é equivalente a:

datetime(*(time.strptime(date_string, format)[0:6]))

ValueError é levantado se o date_string e o format não puderem ser interpretados por time.strptime() ou se ele retorna um valor o qual não é uma tupla temporal. Para uma lista completa de diretivas de formatação, veja Comportamento de strftime() e strptime().

Atributos de classe:

datetime.min

O primeiro datetime representável, datetime(MINYEAR, 1, 1, tzinfo=None).

datetime.max

O último datetime representável, datetime(MAXYEAR, 12, 31, 23, 59, 59, 999999, tzinfo=None).

datetime.resolution

A menor diferença possível entre objetos datetime diferentes, timedelta(microseconds=1).

Atributos de instância (somente leitura):

datetime.year

Entre MINYEAR e MAXYEAR incluindo extremos.

datetime.month

Entre 1 e 12 incluindo extremos.

datetime.day

Entre 1 e o número de dias no mês especificado do ano especificado.

datetime.hour

No intervalo range(24).

datetime.minute

No intervalo range(60).

datetime.second

No intervalo range(60).

datetime.microsecond

No intervalo range(1000000).

datetime.tzinfo

O objeto passado como o argumento tzinfo do construtor datetime, ou None se nada foi passado.

datetime.fold

Entre [0, 1]. Usado para desambiguar tempos reais durante um intervalo repetido. (Um intervalo repetido ocorre quando relógios são atrasados ao final do horário de verão ou quando a diferença UTC para o fuso horário atual é reduzida por razões políticas.) O valor 0 (1) representa o primeiro (mais tarde) dos dois momentos com a mesma representação de tempo real.

Novo na versão 3.6.

Operações suportadas:

Operação

Resultado

datetime2 = datetime1 + timedelta

(1)

datetime2 = datetime1 - timedelta

(2)

timedelta = datetime1 - datetime2

(3)

datetime1 < datetime2

Compara um datetime a um datetime. (4)

  1. datetime2 representa a duração de timedelta removido de datetime1, movendo o tempo para frente se timedelta.days > 0, ou para trás se timedelta.days < 0. O resultado tem o mesmo atributo tzinfo que o datetime de entrada, e datetime2 - datetime1 == timedelta após. OverflowError é levantado se datetime2.year fosse menor que MINYEAR ou maior que MAXYEAR. Perceba que nenhum ajuste no fuso horário é feito mesmo se a entrada é um objeto consciente disso.

  2. Computa o datetime2 tal que datetime2 + timedelta == datetime1. Assim como para adição, o resultado tem o mesmo atributo tzinfo que datetime de entrada, e nenhum ajuste de fuso horário é feito mesmo que a entrada seja consciente disso.

  3. Subtração de um datetime de outro datetime é definido apenas se ambos os operandos são ingênuos, ou se ambos são conscientes. Se um deles é consciente e o outro é ingênuo, TypeError é levantado.

    Se ambos são ingênuos, ou ambos são conscientes e tem o mesmo atributo tzinfo, os atributos tzinfo são ignorados, e o resultado é um objeto t do tipo timedelta, tal que datetime2 + t == datetime1. Nenhum ajuste de fuso horário é feito neste caso.

    Se ambas são conscientes e tem atributos tzinfo diferentes, a-b age como se a e b foram primeiro convertidas para datetimes ingênuas em UTC. O resultado é (a.replace(tzinfo=None) - a.utcoffset()) - (b.replace(tzinfo=None) - b.utcoffset()) exceto que a a implementação nunca ultrapassa o limite.

  4. datetime1 é considerado menor que datetime2 quando datetime1 precede datetime2 no tempo.

    Se um comparando é ingênuo e o outro é consciente, TypeError é levantado ao tentar uma comparação de ordem. Para comparações de igualdade, instâncias ingênuas nunca são iguais a instâncias conscientes.

    Se ambos os comparandos são conscientes, e tem o mesmo atributo tzinfo, o atributo comum tzinfo é ignorado e os datetimes base são comparados. Se ambos os comparandos são conscientes e tem atributos tzinfo diferentes, os comparandos são primeiro ajustados subtraindo sua diferença em UTC (obtida através de self.utcoffset()).

    Alterado na versão 3.3: Comparações de igualdade entre instâncias de datetime conscientes e nativas não levantam TypeError.

    Nota

    Para impedir comparações de caírem de volta no esquema padrão de comparação de endereços de objetos, comparações de datetimes normalmente levantam TypeError se o outro comparando não é também um objeto datetime. Entretanto, NotImplemented é retornado ao invés se o outro comparando tem um atributo timetuple(). Este gancho dá a outros tipos de objetos de data a chance de implementar comparações de tipo misto. Se não, quando um objeto datetime é comparado com um objeto de tipo diferente, TypeError é levantado a não ser que a comparação seja == ou !=. Os últimos casos retornam False ou True, respectivamente.

Métodos de instância:

datetime.date()

Retorna um objeto date com o mesmo ano, mês e dia.

datetime.time()

Retorna um objeto time com a mesma hora, minuto, segundo, microssegundo e fold. O atributo tzinfo é None. Veja também o método timetz().

Alterado na versão 3.6: O valor fold é copiado para o objeto time retornado.

datetime.timetz()

Retorna um objeto time com os mesmos atributos de hora, minuto, segundo, microssegundo, fold e tzinfo. Veja também o método time().

Alterado na versão 3.6: O valor fold é copiado para o objeto time retornado.

datetime.replace(year=self.year, month=self.month, day=self.day, hour=self.hour, minute=self.minute, second=self.second, microsecond=self.microsecond, tzinfo=self.tzinfo, *, fold=0)

Retorna um datetime com os mesmos atributos, exceto para aqueles atributos que receberam novos valores por quaisquer argumentos nomeados que foram especificados. Perceba que tzinfo=None pode ser especificado para criar um datetime ingênuo a partir de um datetime consciente, sem conversão de dados da data ou hora.

Novo na versão 3.6: Adicionado o argumento fold.

datetime.astimezone(tz=None)

Retorna um objeto datetime com novo atributo tzinfo definido por tz, ajustando a data e hora de forma que o resultado seja o mesmo horário UTC que self, mas na hora local de tz.

Se fornecido, tz deve ser uma instância de uma subclasse tzinfo, e seus métodos utcoffset() e dst() não devem retornar None. Se self for ingênuo, é presumido que ele representa o tempo no fuso horário do sistema.

Se for chamado sem argumentos (ou com tz=None) o fuso horário do sistema local é assumido como o fuso horário desejado. O atributo .tzinfo da instância datetime convertida será definido para uma instância de timezone com o nome da zona e um deslocamento obtido a partir do sistema operacional.

Se self.tzinfo for tz, self.astimezone(tz) é igual a self: nenhum ajuste nos dados de data ou hora é realizado. Caso contrário o resultado é a hora local no fuso horário tz, representando a mesma hora UTC que self: depois astz = dt.astimezone(tz), astz - astz.utcoffset() terá os mesmos dados de data e hora que dt - dt.utcoffset().

Se você quer meramente anexar um objeto de fuso horário tz a um datetime dt sem ajustes de dados de data e hora, use dt.replace(tzinfo=tz). Se você meramente quer remover o objeto de fuso horário de um datetime consciente dt sem conversão de dados de data e hora, use dt.replace(tzinfo=None).

Perceba que o método padrão tzinfo.fromutc() pode ser substituído em uma subclasse tzinfo para afetar o resultado retornado por astimezone(). Ignorando erros de letras maiúsculas/minúsculas, astimezone() funciona como:

def astimezone(self, tz):
    if self.tzinfo is tz:
        return self
    # Convert self to UTC, and attach the new time zone object.
    utc = (self - self.utcoffset()).replace(tzinfo=tz)
    # Convert from UTC to tz's local time.
    return tz.fromutc(utc)

Alterado na versão 3.3: tz agora pode ser omitido.

Alterado na versão 3.6: O método astimezone() agora pode ser chamado em instâncias ingênuas que presumidamente representam a hora local do sistema.

datetime.utcoffset()

Se tzinfo for None, retorna None, caso contrário retorna self.tzinfo.utcoffset(self), e levanta uma exceção se o segundo não retornar None ou um objeto timedelta com magnitude menor que um dia.

Alterado na versão 3.7: A diferença UTC não é restrita a um número completo de minutos.

datetime.dst()

Se tzinfo for None, retorna None, caso contrário retorna self.tzinfo.dst(self), e levanta uma exceção se o segundo não retornar None ou um objeto timedelta com magnitude menor que um dia.

Alterado na versão 3.7: A diferença de horário de verão não é restrita a um número completo de minutos.

datetime.tzname()

Se tzinfo for None, retorna None, caso contrário retorna self.tzinfo.tzname(self), levanta uma exceção se o segundo não retornar None ou um objeto string.

datetime.timetuple()

Retorna uma time.struct_time tal como retornado por time.localtime().

d.timetuple() é equivalente a:

time.struct_time((d.year, d.month, d.day,
                  d.hour, d.minute, d.second,
                  d.weekday(), yday, dst))

onde yday = d.toordinal() - date(d.year, 1, 1).toordinal() + 1 é o número de dias dentro do ano atual, começando com 1 para 1º de janeiro. O sinalizador tm_isdst do resultado é setado conforme o método dst(): tzinfo é None ou dst() retorna None, tm_isdst é setado para -1; caso contrário se dst() retornar um valor diferente de zero, tm_isdst é setado para 1; caso contrário tm_isdst é setado para 0.

datetime.utctimetuple()

Se a instância datetime d é ingênua, isto é o mesmo que d.timetuple() exceto que tm_isdst é forçado para 0 independente do que d.dst() retorna. DST nunca é afetado por um horário UTC.

Se d é consciente, d é normalizado para horário UTC, subtraindo d.utcoffset(), e uma time.struct_time para a hora normalizada é retornado. tm_isdst é forçado para 0. Perceba que um OverflowError pode ser levantado se d.year for MINYEAR ou MAXYEAR e os ajustes UTC ultrapassarem o limite de um ano.

Aviso

Por causa que objetos datetime ingênuos são tratados por muitos métodos datetime como hora local, é preferido usar datetimes conscientes para representar horários em UTC; como resultado, usar utcfromtimetuple pode dar resultados enganosos. Se você tem um datetime ingênuo representando UTC, use datetime.replace(tzinfo=timezone.utc) para torná-lo consciente, ponto no qual você pode usar datetime.timetuple().

datetime.toordinal()

Retorna o ordinal proléptico gregoriano da data. o mesmo que self.date().toordinal().

datetime.timestamp()

Retorna o timestamp POSIX correspondente a instância datetime. O valor de retorno é um float similar aquele retornado por time.time().

Assume-se que instâncias datetime ingênuas representam a hora local e este método depende da função C mktime() da plataforma para realizar a conversão. Como datetime suporta um intervalo maior de valores que mktime() em muitas plataformas, este método pode levantar OverflowError para horários longe no passado ou longe no futuro.

Para instâncias conscientes de datetime, o valor retornado é computado como:

(dt - datetime(1970, 1, 1, tzinfo=timezone.utc)).total_seconds()

Novo na versão 3.3.

Alterado na versão 3.6: O método timestamp() usa o atributo fold para desambiguar os tempos durante um intervalo repetido.

Nota

Não existe método para obter o timestamp POSIX diretamente de uma instância datetime ingênua representando tempo em UTC. Se a sua aplicação usa esta convenção e o fuso horário do seu sistema não está setado para UTC, você pode obter o timestamp POSIX fornecendo tzinfo=timezone.utc:

timestamp = dt.replace(tzinfo=timezone.utc).timestamp()

ou calculando o timestamp diretamente:

timestamp = (dt - datetime(1970, 1, 1)) / timedelta(seconds=1)
datetime.weekday()

Retorna o dia da semana como um inteiro, em que segunda-feira é 0 e domingo é 6. O mesmo que self.date().weekday(). Veja também isoweekday().

datetime.isoweekday()

Retorna o dia da semana como um inteiro, em que segunda-feira é 1 e domingo é 7. O mesmo que self.date().isoweekday(). Veja também weekday(), isocalendar().

datetime.isocalendar()

Retorna uma tupla nomeada com três componentes: year, week e weekday. O mesmo que self.date().isocalendar().

datetime.isoformat(sep='T', timespec='auto')

Retorna uma string representando a data e o tempo no formato ISO 8601:

Se utcoffset() não retorna None, uma string é adicionada com a diferença UTC:

  • YYYY-MM-DDTHH:MM:SS.ffffff+HH:MM[:SS[.ffffff]], se microsecond não é 0

  • YYYY-MM-DDTHH:MM:SS+HH:MM[:SS[.ffffff]], se microsecond é 0

Exemplos:

>>> from datetime import datetime, timezone
>>> datetime(2019, 5, 18, 15, 17, 8, 132263).isoformat()
'2019-05-18T15:17:08.132263'
>>> datetime(2019, 5, 18, 15, 17, tzinfo=timezone.utc).isoformat()
'2019-05-18T15:17:00+00:00'

O argumento opcional sep (por padrão, 'T') é um separador de caractere único, colocado entre as porções de data e tempo do resultado. Por exemplo:

>>> from datetime import tzinfo, timedelta, datetime
>>> class TZ(tzinfo):
...     """A time zone with an arbitrary, constant -06:39 offset."""
...     def utcoffset(self, dt):
...         return timedelta(hours=-6, minutes=-39)
...
>>> datetime(2002, 12, 25, tzinfo=TZ()).isoformat(' ')
'2002-12-25 00:00:00-06:39'
>>> datetime(2009, 11, 27, microsecond=100, tzinfo=TZ()).isoformat()
'2009-11-27T00:00:00.000100-06:39'

O argumento opcional timespec especifica o número de componentes adicionais do tempo a incluir (o padrão é 'auto'). Pode ser uma das seguintes strings:

  • 'auto': O mesmo que 'seconds' se microsecond é 0, o mesmo que 'microseconds' caso contrário.

  • 'hours': Inclui o atributo hour no formato de dois dígitos HH.

  • 'minutes': Inclui os atributos hour e minute no formato HH:MM.

  • 'seconds': Inclui os atributos hour, minute e second no formato HH:MM:SS.

  • 'milliseconds': Inclui o tempo completo, mas trunca a parte fracional dos segundos em milissegundos. Formato HH:MM:SS.sss.

  • 'microseconds': Inclui o tempo completo no formato HH:MM:SS.ffffff.

Nota

Componentes do tempo excluídos são truncados, não arredondados.

A exceção ValueError vai ser levantada no caso de um argumento timespec inválido:

>>> from datetime import datetime
>>> datetime.now().isoformat(timespec='minutes')   
'2002-12-25T00:00'
>>> dt = datetime(2015, 1, 1, 12, 30, 59, 0)
>>> dt.isoformat(timespec='microseconds')
'2015-01-01T12:30:59.000000'

Novo na versão 3.6: Argumento timespec adicionado.

datetime.__str__()

Para uma instância datetime d, str(d) é equivalente a d.isoformat(' ').

datetime.ctime()

Retorna uma string representando a data e hora:

>>> from datetime import datetime
>>> datetime(2002, 12, 4, 20, 30, 40).ctime()
'Wed Dec  4 20:30:40 2002'

A string de saída não irá incluir informações de fuso horário, independente de a entrada ser consciente ou ingênua.

d.ctime() é equivalente a:

time.ctime(time.mktime(d.timetuple()))

em plataformas onde a função nativa em C ctime() (a qual time.ctime() invoca, mas a qual datetime.ctime() não invoca) conforma com o padrão C.

datetime.strftime(format)

Retorna uma string representando a data e hora, controladas por uma string com formato explícito. Para uma lista completa de diretivas de formatação, veja Comportamento de strftime() e strptime().

datetime.__format__(format)

O mesmo que datetime.strftime(). Isto torna possível especificar uma string de formatação para um objeto datetime em literais de string formatados e ao usar str.format(). Para uma lista completa de diretivas de formatação, veja Comportamento de strftime() e strptime().

Exemplos de uso: datetime

Exemplos de uso de objetos datetime:

>>> from datetime import datetime, date, time, timezone

>>> # Using datetime.combine()
>>> d = date(2005, 7, 14)
>>> t = time(12, 30)
>>> datetime.combine(d, t)
datetime.datetime(2005, 7, 14, 12, 30)

>>> # Using datetime.now()
>>> datetime.now()   
datetime.datetime(2007, 12, 6, 16, 29, 43, 79043)   # GMT +1
>>> datetime.now(timezone.utc)   
datetime.datetime(2007, 12, 6, 15, 29, 43, 79060, tzinfo=datetime.timezone.utc)

>>> # Using datetime.strptime()
>>> dt = datetime.strptime("21/11/06 16:30", "%d/%m/%y %H:%M")
>>> dt
datetime.datetime(2006, 11, 21, 16, 30)

>>> # Using datetime.timetuple() to get tuple of all attributes
>>> tt = dt.timetuple()
>>> for it in tt:   
...     print(it)
...
2006    # year
11      # month
21      # day
16      # hour
30      # minute
0       # second
1       # weekday (0 = Monday)
325     # number of days since 1st January
-1      # dst - method tzinfo.dst() returned None

>>> # Date in ISO format
>>> ic = dt.isocalendar()
>>> for it in ic:   
...     print(it)
...
2006    # ISO year
47      # ISO week
2       # ISO weekday

>>> # Formatting a datetime
>>> dt.strftime("%A, %d. %B %Y %I:%M%p")
'Tuesday, 21. November 2006 04:30PM'
>>> 'The {1} is {0:%d}, the {2} is {0:%B}, the {3} is {0:%I:%M%p}.'.format(dt, "day", "month", "time")
'The day is 21, the month is November, the time is 04:30PM.'

O exemplo abaixo define uma subclasse tzinfo capturando informações de fuso horário para Kabul, Afeganistão, o qual usou +4 UTC até 1945 e depois +4:30 UTC após esse período:

from datetime import timedelta, datetime, tzinfo, timezone

class KabulTz(tzinfo):
    # Kabul used +4 until 1945, when they moved to +4:30
    UTC_MOVE_DATE = datetime(1944, 12, 31, 20, tzinfo=timezone.utc)

    def utcoffset(self, dt):
        if dt.year < 1945:
            return timedelta(hours=4)
        elif (1945, 1, 1, 0, 0) <= dt.timetuple()[:5] < (1945, 1, 1, 0, 30):
            # An ambiguous ("imaginary") half-hour range representing
            # a 'fold' in time due to the shift from +4 to +4:30.
            # If dt falls in the imaginary range, use fold to decide how
            # to resolve. See PEP495.
            return timedelta(hours=4, minutes=(30 if dt.fold else 0))
        else:
            return timedelta(hours=4, minutes=30)

    def fromutc(self, dt):
        # Follow same validations as in datetime.tzinfo
        if not isinstance(dt, datetime):
            raise TypeError("fromutc() requires a datetime argument")
        if dt.tzinfo is not self:
            raise ValueError("dt.tzinfo is not self")

        # A custom implementation is required for fromutc as
        # the input to this function is a datetime with utc values
        # but with a tzinfo set to self.
        # See datetime.astimezone or fromtimestamp.
        if dt.replace(tzinfo=timezone.utc) >= self.UTC_MOVE_DATE:
            return dt + timedelta(hours=4, minutes=30)
        else:
            return dt + timedelta(hours=4)

    def dst(self, dt):
        # Kabul does not observe daylight saving time.
        return timedelta(0)

    def tzname(self, dt):
        if dt >= self.UTC_MOVE_DATE:
            return "+04:30"
        return "+04"

Uso de KabulTz mostrado acima:

>>> tz1 = KabulTz()

>>> # Datetime before the change
>>> dt1 = datetime(1900, 11, 21, 16, 30, tzinfo=tz1)
>>> print(dt1.utcoffset())
4:00:00

>>> # Datetime after the change
>>> dt2 = datetime(2006, 6, 14, 13, 0, tzinfo=tz1)
>>> print(dt2.utcoffset())
4:30:00

>>> # Convert datetime to another time zone
>>> dt3 = dt2.astimezone(timezone.utc)
>>> dt3
datetime.datetime(2006, 6, 14, 8, 30, tzinfo=datetime.timezone.utc)
>>> dt2
datetime.datetime(2006, 6, 14, 13, 0, tzinfo=KabulTz())
>>> dt2 == dt3
True

Objetos time

Um objeto time representa a hora (local) do dia, independente de qualquer dia em particular, e sujeito a ajustes através de um objeto tzinfo.

class datetime.time(hour=0, minute=0, second=0, microsecond=0, tzinfo=None, *, fold=0)

Todos os argumentos são opcionais. tzinfo pode ser None, ou uma instância de uma subclasse de tzinfo. Os argumentos remanescentes devem ser inteiros nos seguintes intervalos:

  • 0 <= hour < 24,

  • 0 <= minute < 60,

  • 0 <= second < 60,

  • 0 <= microsecond < 1000000,

  • fold in [0, 1].

Se um argumento fora desses intervalos é fornecido, ValueError é levantado. Todos tem como padrão o valor 0 exceto tzinfo, o qual tem o valor padrão None.

Atributos de classe:

time.min

O time mais cedo que pode ser representado, time(0, 0, 0, 0).

time.max

O time mais tardio que pode ser representado, time(23, 59, 59, 999999).

time.resolution

A menor diferença possível entre objetos time diferentes, timedelta(microseconds=1), embora perceba que aritmética sobre objetos time não é suportada.

Atributos de instância (somente leitura):

time.hour

No intervalo range(24).

time.minute

No intervalo range(60).

time.second

No intervalo range(60).

time.microsecond

No intervalo range(1000000).

time.tzinfo

O objeto passado como argumento tzinfo para o construtor da classe time, ou None se nada foi passado.

time.fold

Entre [0, 1]. Usado para desambiguar tempos reais durante um intervalo repetido. (Um intervalo repetido ocorre quando relógios são atrasados ao final do horário de verão ou quando a diferença UTC para o fuso horário atual é reduzida por razões políticas.) O valor 0 (1) representa o primeiro (mais tarde) dos dois momentos com a mesma representação de tempo real.

Novo na versão 3.6.

Objetos time suportam comparação de time e time, onde a é considerado menor que b quando a precede b no tempo. Se um comparando é ingênuo e o outro é consciente, TypeError é levantado ao tentar uma comparação. Para comparações de igualdade, instâncias ingênuas nunca são iguais a instâncias conscientes.

Se ambos os comparandos são conscientes, e tem o mesmo atributo tzinfo, o atributo comum tzinfo é ignorado e os horários base são comparados. Se ambos os comparandos são conscientes e tem atributos tzinfo diferentes, os comparandos são primeiro ajustados subtraindo sua diferença relativa a UTC (obtida a partir de self.utcoffset()). Para impedir comparações de tipo misto de cair novamente na comparação padrão por endereço de objeto, quando um objeto time é comparado com um objeto de tipo diferente, TypeError é levantado a não ser que a comparação seja == ou !=. O último caso retorna False ou True, respectivamente.

Alterado na versão 3.3: Comparações de igualdade entre instâncias conscientes e ingênuas time não levantam TypeError.

Em contextos Booleanos, um objeto time é sempre considerado como verdadeiro.

Alterado na versão 3.5: Antes do Python 3.5, um objeto time era considerado falso se ele representava meia-noite em UTC. Este comportamento era considerado obscuro e suscetível a erros, e foi removido no Python 3.5. Veja bpo-13936 para todos os detalhes.

Outro construtor:

classmethod time.fromisoformat(time_string)

Retorna um time correspondendo a time_string em um dos formatos emitidos por time.isoformat(). Especificamente, esta função suporta strings no formato:

HH[:MM[:SS[.fff[fff]]]][+HH:MM[:SS[.ffffff]]]

Cuidado

Isto não suporta interpretar strings ISO 8601 arbitrárias. Ela só é projetada para uso como a operação inversa de time.isoformat().

Exemplos:

>>> from datetime import time
>>> time.fromisoformat('04:23:01')
datetime.time(4, 23, 1)
>>> time.fromisoformat('04:23:01.000384')
datetime.time(4, 23, 1, 384)
>>> time.fromisoformat('04:23:01+04:00')
datetime.time(4, 23, 1, tzinfo=datetime.timezone(datetime.timedelta(seconds=14400)))

Novo na versão 3.7.

Métodos de instância:

time.replace(hour=self.hour, minute=self.minute, second=self.second, microsecond=self.microsecond, tzinfo=self.tzinfo, *, fold=0)

Retorna um time com o mesmo valor, exceto para aqueles atributos que receberam novos valores através de quaisquer argumentos nomeados que foram especificados. Perceba que tzinfo=None pode ser especificado para criar um time ingênuo a partir de um time consciente, sem conversão de dados do horário.

Novo na versão 3.6: Adicionado o argumento fold.

time.isoformat(timespec='auto')

Retorna uma string representando a hora em formato ISO 8601, um destes:

O argumento opcional timespec especifica o número de componentes adicionais do tempo a incluir (o padrão é 'auto'). Pode ser uma das seguintes strings:

  • 'auto': O mesmo que 'seconds' se microsecond é 0, o mesmo que 'microseconds' caso contrário.

  • 'hours': Inclui o atributo hour no formato de dois dígitos HH.

  • 'minutes': Inclui os atributos hour e minute no formato HH:MM.

  • 'seconds': Inclui os atributos hour, minute e second no formato HH:MM:SS.

  • 'milliseconds': Inclui o tempo completo, mas trunca a parte fracional dos segundos em milissegundos. Formato HH:MM:SS.sss.

  • 'microseconds': Inclui o tempo completo no formato HH:MM:SS.ffffff.

Nota

Componentes do tempo excluídos são truncados, não arredondados.

ValueError será levantado com um argumento timespec inválido.

Exemplo:

>>> from datetime import time
>>> time(hour=12, minute=34, second=56, microsecond=123456).isoformat(timespec='minutes')
'12:34'
>>> dt = time(hour=12, minute=34, second=56, microsecond=0)
>>> dt.isoformat(timespec='microseconds')
'12:34:56.000000'
>>> dt.isoformat(timespec='auto')
'12:34:56'

Novo na versão 3.6: Argumento timespec adicionado.

time.__str__()

Para um tempo t, str(t) é equivalente a t.isoformat().

time.strftime(format)

Retorna uma string representando o tempo, controlado por uma formatação explícita de string. Para uma lista completa de diretivas de formatação, veja Comportamento de strftime() e strptime().

time.__format__(format)

O mesmo que time.strftime(). Isto torna possível especificar uma string de formatação para um objeto time em literais de string formatados e quando usamos str.format(). Para uma lista completa de diretivas de formatação, veja Comportamento de strftime() e strptime().

time.utcoffset()

Se tzinfo for None, retorna None, caso contrário retorna self.tzinfo.utcoffset(None), e levanta uma exceção se o segundo não retornar None ou um objeto timedelta com magnitude menor que um dia.

Alterado na versão 3.7: A diferença UTC não é restrita a um número completo de minutos.

time.dst()

Se tzinfo for None, retorna None, caso contrário retorna self.tzinfo.dst(None), e levanta uma exceção se o segundo não retornar None, ou um objeto timedelta com magnitude menor que um dia.

Alterado na versão 3.7: A diferença de horário de verão não é restrita a um número completo de minutos.

time.tzname()

Se tzinfo for None, retorna None, caso contrário retorna self.tzinfo.tzname(None), ou levanta uma exceção se o último caso não retornar None ou um objeto string.

Exemplos de uso: time

Exemplos para trabalhar com um objeto time:

>>> from datetime import time, tzinfo, timedelta
>>> class TZ1(tzinfo):
...     def utcoffset(self, dt):
...         return timedelta(hours=1)
...     def dst(self, dt):
...         return timedelta(0)
...     def tzname(self,dt):
...         return "+01:00"
...     def  __repr__(self):
...         return f"{self.__class__.__name__}()"
...
>>> t = time(12, 10, 30, tzinfo=TZ1())
>>> t
datetime.time(12, 10, 30, tzinfo=TZ1())
>>> t.isoformat()
'12:10:30+01:00'
>>> t.dst()
datetime.timedelta(0)
>>> t.tzname()
'+01:00'
>>> t.strftime("%H:%M:%S %Z")
'12:10:30 +01:00'
>>> 'The {} is {:%H:%M}.'.format("time", t)
'The time is 12:10.'

Objetos tzinfo

class datetime.tzinfo

Esta é uma classe base abstrata, o que significa que esta classe não deve ser instanciada diretamente. Defina uma subclasse de tzinfo para capturar informações sobre um fuso horário em particular.

Uma instância de (uma subclasse concreta de) tzinfo pode ser passada para os construtores de objetos datetime e time. Os objetos time veem seus atributos como se estivessem em horário local, e o objeto tzinfo suporta métodos revelando a diferença da hora local a partir de UTC, o nome do fuso horário, e diferença de horário em horário de verão, todos relativos ao objeto date ou time passado para eles.

Você precisa derivar uma subclasse concreta, e (pelo menos) fornecer implementações dos métodos padrões de tzinfo necessários pelos métodos datetime que você usa. O módulo datetime fornece timezone, uma subclasse concreta simples de tzinfo, que pode representar fuso horários com diferença fixa a partir de UTC, tais como o próprio UTC, ou EST (Eastern Standard Time ou Horário padrão oriental) e EDT (Eastern Daylight Time ou Horário de verão oriental) na América do Norte.

Requisito especial para preservação: uma subclasse tzinfo deve ter um método __init__() que pode ser chamado sem nenhum argumento, caso contrário ele pode ser conservado, mas não alterado novamente. Isso é um requisito técnico que pode ser relaxado no futuro.

Uma subclasse concreta de tzinfo pode precisar implementar os seguintes métodos. Exatamente quais métodos são necessários depende do uso feito de objetos datetime conscientes. Se estiver em dúvida, simplesmente implemente todos eles.

tzinfo.utcoffset(dt)

Retorna a diferença da hora local a partir do UTC, como um objeto timedelta, que é positivo a leste do UTC. Se a hora local está a oeste do UTC, isto deve ser negativo.

Isto representa a diferença total a partir de UTC; por exemplo, se um objeto tzinfo representa fuso horário e ajustes de horário de verão, utcoffset() deve retornar a soma deles. Se a diferença UTC não é conhecida, retorna None. Caso contrário o valor retornado deve ser um objeto timedelta estritamente contido entre -timedelta(hours=24) e timedelta(hours=24) (a magnitude da diferença deve ser menor que um dia). A maior parte das implementações de utcoffset() irá provavelmente parecer com um destes dois:

return CONSTANT                 # fixed-offset class
return CONSTANT + self.dst(dt)  # daylight-aware class

Se utcoffset() não retorna None, dst() também não deve retornar None.

A implementação padrão de utcoffset() levanta NotImplementedError.

Alterado na versão 3.7: A diferença UTC não é restrita a um número completo de minutos.

tzinfo.dst(dt)

Retorna o ajuste para o horário de verão (DST - daylight saving time), como um objeto timedelta ou None se informação para o horário de verão é desconhecida.

Retorna timedelta(0) se o horário de verão não estiver ativo. Se o horário de verão estiver ativo, retorna a diferença como um objeto timedelta (veja utcoffset() para detalhes). Perceba que a diferença do horário de verão, se aplicável, já foi adicionada a diferença UTC retornada por utcoffset(), então não existe necessidade de consultar dst() a não ser que você esteja interessado em obter a informação de horário de verão separadamente. Por exemplo, datetime.timetuple() chama o método dst() do seu atributo tzinfo para determinar como o flag tm_isdst deve ser definido, e tzinfo.fromutc() chama dst() para contabilizar as mudanças de horário de verão quando ocorrem mudanças de fuso horário.

Uma instância tz de uma subclasse tzinfo que modela tanto horário padrão quanto horário de verão deve ser consistente neste sentido:

tz.utcoffset(dt) - tz.dst(dt)

deve retornar o mesmo resultado para cada datetime dt com dt.tzinfo == tz para subclasses tzinfo sãs, esta expressão produz a “diferença padrão” do fuso horário, a qual não deve depender de data ou hora, mas apenas de localização geográfica. A implementação de datetime.astimezone() depende disso, mas não pode detectar violações; é responsabilidade do programador garantir isso. Se uma subclasse tzinfo não pode garantir isso, ele pode ser capaz de substituir a implementação padrão de tzinfo.fromutc() para funcionar corretamente com astimezone() independente disso.

Maior parte das implementações de dst() provavelmente irá parecer com um destes dois:

def dst(self, dt):
    # a fixed-offset class:  doesn't account for DST
    return timedelta(0)

or:

def dst(self, dt):
    # Code to set dston and dstoff to the time zone's DST
    # transition times based on the input dt.year, and expressed
    # in standard local time.

    if dston <= dt.replace(tzinfo=None) < dstoff:
        return timedelta(hours=1)
    else:
        return timedelta(0)

A implementação padrão de dst() levanta NotImplementedError.

Alterado na versão 3.7: A diferença de horário de verão não é restrita a um número completo de minutos.

tzinfo.tzname(dt)

Retorna o fuso horário correspondente para o objeto datetime dt, como uma string. Nada a respeito de nomes das string é definido pelo módulo datetime, e não existe requisito que ele signifique qualquer coisa em particular. Por exemplo, “GMT”, “UTC”, “-500”, “-5:00”, “EDT”, “US/Eastern”, “America/New York” são todos retornos válidos. Retorna None se o nome da string não é conhecido. Perceba que isto é um método ao invés de uma string fixa, primariamente porque algumas subclasses tzinfo desejarão retornar diferentes nomes dependendo do valor específico de dt passado, especialmente se a classe tzinfo estiver contabilizando horário de verão.

A implementação padrão de tzname() levanta NotImplementedError.

Estes métodos são chamados por um objeto datetime ou time, em resposta aos seus métodos de mesmo nome. Um objeto datetime passa a si mesmo como argumento, e um objeto time passa None como o argumento. Os métodos de uma subclasse tzinfo devem portanto estar preparados para aceitar um argumento dt com valor None, ou uma classe datetime.

Quando None é passado, cabe ao projetista da classe decidir a melhor resposta. Por exemplo, retornar None é apropriado se a classe deseja dizer que objetos time não participam nos protocolos da classe tzinfo. Pode ser mais útil para utcoffset(None) retornar a diferença UTC padrão, como não existe outra convenção para descobrir a diferença padrão.

Quando um objeto datetime é passado na resposta ao método datetime, dt.tzinfo é o mesmo objeto que self. tzinfo e os métodos podem depender disso, a não ser que o código do usuário chame métodos tzinfo diretamente. A intenção é que os métodos tzinfo interpretem dt como estando em hora local, e não precisem se preocupar com objetos em outros fusos horários.

Exste mais um método tzinfo que uma subclasse pode querer substituir:

tzinfo.fromutc(dt)

Chamado a partir da implementação padrão datetime.astimezone(). Quando chamado a partir dela, dt.tzinfo é self, e os dados de data e hora de dt devem ser vistos como se expressassem um horário UTC. O propósito de fromutc() é ajustar os dados de data e hora, retornando um datetime equivalente na hora local de self.

Maioria das subclasses tzinfo deve ser capaz de herdar a implementação padrão fromutc() sem problemas. É forte o suficiente para manipular fuso horários com diferença fixa, e fuso horários contabilizando tanto hora padrão como horário de verão, e o segundo mesmo se a transição para horário de verão for diferente em anos diferentes. Um exemplo de um fuso horário onde a implementação padrão fromutc() pode acabar não lidando corretamente todos os casos, é quando a diferença padrão (a partir do UTC) depende da data e hora específica passada, a qual pode ocorrer por razões políticas. As implementações padrões de astimezone() e fromutc() podem não produzir o resultado desejado se o resultado é uma das horas do momento que a diferença padrão muda.

Ignorando o código para casos de erros, a implementação padrão fromutc() funciona como:

def fromutc(self, dt):
    # raise ValueError error if dt.tzinfo is not self
    dtoff = dt.utcoffset()
    dtdst = dt.dst()
    # raise ValueError if dtoff is None or dtdst is None
    delta = dtoff - dtdst  # this is self's standard offset
    if delta:
        dt += delta   # convert to standard local time
        dtdst = dt.dst()
        # raise ValueError if dtdst is None
    if dtdst:
        return dt + dtdst
    else:
        return dt

No seguinte arquivo tzinfo_examples.py existem alguns exemplos de classes tzinfo:

from datetime import tzinfo, timedelta, datetime

ZERO = timedelta(0)
HOUR = timedelta(hours=1)
SECOND = timedelta(seconds=1)

# A class capturing the platform's idea of local time.
# (May result in wrong values on historical times in
#  timezones where UTC offset and/or the DST rules had
#  changed in the past.)
import time as _time

STDOFFSET = timedelta(seconds = -_time.timezone)
if _time.daylight:
    DSTOFFSET = timedelta(seconds = -_time.altzone)
else:
    DSTOFFSET = STDOFFSET

DSTDIFF = DSTOFFSET - STDOFFSET

class LocalTimezone(tzinfo):

    def fromutc(self, dt):
        assert dt.tzinfo is self
        stamp = (dt - datetime(1970, 1, 1, tzinfo=self)) // SECOND
        args = _time.localtime(stamp)[:6]
        dst_diff = DSTDIFF // SECOND
        # Detect fold
        fold = (args == _time.localtime(stamp - dst_diff))
        return datetime(*args, microsecond=dt.microsecond,
                        tzinfo=self, fold=fold)

    def utcoffset(self, dt):
        if self._isdst(dt):
            return DSTOFFSET
        else:
            return STDOFFSET

    def dst(self, dt):
        if self._isdst(dt):
            return DSTDIFF
        else:
            return ZERO

    def tzname(self, dt):
        return _time.tzname[self._isdst(dt)]

    def _isdst(self, dt):
        tt = (dt.year, dt.month, dt.day,
              dt.hour, dt.minute, dt.second,
              dt.weekday(), 0, 0)
        stamp = _time.mktime(tt)
        tt = _time.localtime(stamp)
        return tt.tm_isdst > 0

Local = LocalTimezone()


# A complete implementation of current DST rules for major US time zones.

def first_sunday_on_or_after(dt):
    days_to_go = 6 - dt.weekday()
    if days_to_go:
        dt += timedelta(days_to_go)
    return dt


# US DST Rules
#
# This is a simplified (i.e., wrong for a few cases) set of rules for US
# DST start and end times. For a complete and up-to-date set of DST rules
# and timezone definitions, visit the Olson Database (or try pytz):
# http://www.twinsun.com/tz/tz-link.htm
# http://sourceforge.net/projects/pytz/ (might not be up-to-date)
#
# In the US, since 2007, DST starts at 2am (standard time) on the second
# Sunday in March, which is the first Sunday on or after Mar 8.
DSTSTART_2007 = datetime(1, 3, 8, 2)
# and ends at 2am (DST time) on the first Sunday of Nov.
DSTEND_2007 = datetime(1, 11, 1, 2)
# From 1987 to 2006, DST used to start at 2am (standard time) on the first
# Sunday in April and to end at 2am (DST time) on the last
# Sunday of October, which is the first Sunday on or after Oct 25.
DSTSTART_1987_2006 = datetime(1, 4, 1, 2)
DSTEND_1987_2006 = datetime(1, 10, 25, 2)
# From 1967 to 1986, DST used to start at 2am (standard time) on the last
# Sunday in April (the one on or after April 24) and to end at 2am (DST time)
# on the last Sunday of October, which is the first Sunday
# on or after Oct 25.
DSTSTART_1967_1986 = datetime(1, 4, 24, 2)
DSTEND_1967_1986 = DSTEND_1987_2006

def us_dst_range(year):
    # Find start and end times for US DST. For years before 1967, return
    # start = end for no DST.
    if 2006 < year:
        dststart, dstend = DSTSTART_2007, DSTEND_2007
    elif 1986 < year < 2007:
        dststart, dstend = DSTSTART_1987_2006, DSTEND_1987_2006
    elif 1966 < year < 1987:
        dststart, dstend = DSTSTART_1967_1986, DSTEND_1967_1986
    else:
        return (datetime(year, 1, 1), ) * 2

    start = first_sunday_on_or_after(dststart.replace(year=year))
    end = first_sunday_on_or_after(dstend.replace(year=year))
    return start, end


class USTimeZone(tzinfo):

    def __init__(self, hours, reprname, stdname, dstname):
        self.stdoffset = timedelta(hours=hours)
        self.reprname = reprname
        self.stdname = stdname
        self.dstname = dstname

    def __repr__(self):
        return self.reprname

    def tzname(self, dt):
        if self.dst(dt):
            return self.dstname
        else:
            return self.stdname

    def utcoffset(self, dt):
        return self.stdoffset + self.dst(dt)

    def dst(self, dt):
        if dt is None or dt.tzinfo is None:
            # An exception may be sensible here, in one or both cases.
            # It depends on how you want to treat them.  The default
            # fromutc() implementation (called by the default astimezone()
            # implementation) passes a datetime with dt.tzinfo is self.
            return ZERO
        assert dt.tzinfo is self
        start, end = us_dst_range(dt.year)
        # Can't compare naive to aware objects, so strip the timezone from
        # dt first.
        dt = dt.replace(tzinfo=None)
        if start + HOUR <= dt < end - HOUR:
            # DST is in effect.
            return HOUR
        if end - HOUR <= dt < end:
            # Fold (an ambiguous hour): use dt.fold to disambiguate.
            return ZERO if dt.fold else HOUR
        if start <= dt < start + HOUR:
            # Gap (a non-existent hour): reverse the fold rule.
            return HOUR if dt.fold else ZERO
        # DST is off.
        return ZERO

    def fromutc(self, dt):
        assert dt.tzinfo is self
        start, end = us_dst_range(dt.year)
        start = start.replace(tzinfo=self)
        end = end.replace(tzinfo=self)
        std_time = dt + self.stdoffset
        dst_time = std_time + HOUR
        if end <= dst_time < end + HOUR:
            # Repeated hour
            return std_time.replace(fold=1)
        if std_time < start or dst_time >= end:
            # Standard time
            return std_time
        if start <= std_time < end - HOUR:
            # Daylight saving time
            return dst_time


Eastern  = USTimeZone(-5, "Eastern",  "EST", "EDT")
Central  = USTimeZone(-6, "Central",  "CST", "CDT")
Mountain = USTimeZone(-7, "Mountain", "MST", "MDT")
Pacific  = USTimeZone(-8, "Pacific",  "PST", "PDT")

Perceba que existem sutilezas inevitáveis duas vezes por ano em uma subclasse tzinfo contabilizando tanto hora normal e horário de verão, nos pontos de transição do horário de verão. Para concretude, considere a costa leste dos EUA (UTC -0500), onde o horário de verão EDT começa no minuto após 1:59 (EST, hora padrão) no segundo domingo de Março, e termina no minuto posterior a 1:59 (EDT, horário de verão) no primeiro domingo de Novembro:

  UTC   3:MM  4:MM  5:MM  6:MM  7:MM  8:MM
  EST  22:MM 23:MM  0:MM  1:MM  2:MM  3:MM
  EDT  23:MM  0:MM  1:MM  2:MM  3:MM  4:MM

start  22:MM 23:MM  0:MM  1:MM  3:MM  4:MM

  end  23:MM  0:MM  1:MM  1:MM  2:MM  3:MM

Quando o horário de verão inicia (a linha de “início”), o relógio de parede local salta de 1:59 para 3:00. Um horário de parede da forma 2:MM realmente não faz sentido nesse dia, então astimezone(Eastern) não irá entregar um resultado com hour == 2 no dia que o horário de verão começar. Por exemplo, na primavera de transição para frente em 2016, nós tivemos:

>>> from datetime import datetime, timezone
>>> from tzinfo_examples import HOUR, Eastern
>>> u0 = datetime(2016, 3, 13, 5, tzinfo=timezone.utc)
>>> for i in range(4):
...     u = u0 + i*HOUR
...     t = u.astimezone(Eastern)
...     print(u.time(), 'UTC =', t.time(), t.tzname())
...
05:00:00 UTC = 00:00:00 EST
06:00:00 UTC = 01:00:00 EST
07:00:00 UTC = 03:00:00 EDT
08:00:00 UTC = 04:00:00 EDT

Quando o horário de verão termina (o “fim” da linha), existe um problema potencialmente pior: existe uma hora que não pode ser pronunciada inequivocamente em hora local na parede: a última hora do horário de verão. No oriente, essa hora é na forma de 5:MM UTC no dia que o horário de verão acaba. A hora local na parede salta de 1:59 (horário de verão) de volta para 1:00 (hora padrão) de novo. Horário local na forma 1:MM são ambíguos. astimezone() então imita o comportamento do relógio local através do mapeamento de duas horas UTC adjacentes na mesma hora local. No ocidente por exemplo, horas UTC da forma 5:MM e 6:MM ambas mapeiam para 1:MM quando convertidas para ocidente, mas horas anteriores tem o atributo fold definido para 0 e horas posteriores tem o mesmo definido para 1. Por exemplo, na transição de volta para o outono de 2016, nós obtivemos:

>>> u0 = datetime(2016, 11, 6, 4, tzinfo=timezone.utc)
>>> for i in range(4):
...     u = u0 + i*HOUR
...     t = u.astimezone(Eastern)
...     print(u.time(), 'UTC =', t.time(), t.tzname(), t.fold)
...
04:00:00 UTC = 00:00:00 EDT 0
05:00:00 UTC = 01:00:00 EDT 0
06:00:00 UTC = 01:00:00 EST 1
07:00:00 UTC = 02:00:00 EST 0

Note que instâncias datetime que se diferenciam apenas pelo valor do atributo fold são consideradas iguais em comparações.

Aplicações que não podem suportar horário na parede com ambiguidades devem explicitamente verificar o valor do atributo fold ou evitar o uso de subclasses tzinfo híbridas; não existem ambiguidades ao usar timezone, ou qualquer outra subclasse tzinfo com diferença fixa (tal como uma classe representando apenas o horário padrão na costa leste EST (diferença fixa de -5 horas), ou apenas o horário de verão na costa leste EDT (diferença fixa de -4 horas)).

Ver também

dateutil.tz

O módulo datetime possui uma classe timezone básica (para o tratamento de diferenças temporárias fixas arbitrárias do UTC) e seu atributo timezone.utc (uma instância do fuso horário UTC).

A biblioteca dateutil.tz traz a base de dados de fusos horários IANA (também conhecida como a base de dados Olson) para o Python, e sua utilização é recomendada.

Base de dados de fusos horários IANA

O banco de dados de fuso horário (comumente chamado de tz, tzdata ou zoneinfo) contém código e dados que representam o histórico de hora local para muitas localizações representativas ao redor do globo. Ele é atualizado periodicamente para refletir mudanças feitas por corpos políticos para limites de fuso horário, diferenças UTC, e regras de horário de verão.

Objetos timezone

A classe timezone é uma subclasse de tzinfo, as instâncias de cada uma representam um fuso horário definido por uma diferença temporária fixa do UTC.

Objetos dessa classe não podem ser usados para representar informações de fuso horário nas localizações onde variadas diferenças de fuso horário são utilizadas em diferentes dias do ano, ou onde mudanças históricas foram feitas ao tempo civil.

class datetime.timezone(offset, name=None)

O argumento offset deve ser especificado como um objeto timedelta representando a diferença entre o tempo local e o UTC. Ele deve estar estritamente entre -timedelta(hours=24) e timedelta(hous=24), caso contrário a exceção ValueError será provocada.

O argumento name é opcional. Se especificado, deve ser uma string que será usada como o valor retornado pelo método datetime.tzname().

Novo na versão 3.2.

Alterado na versão 3.7: A diferença UTC não é restrita a um número completo de minutos.

timezone.utcoffset(dt)

Retorna o valor fixo especificado quando a instância timezone é construída.

O argumento dt é ignorado. O valor de retorno é uma instância timedelta equivalente à diferença entre o tempo local e o UTC.

Alterado na versão 3.7: A diferença UTC não é restrita a um número completo de minutos.

timezone.tzname(dt)

Retorna o valor fixo especificado quando a instância timezone é construída.

Se name não é passado ao construtor, o nome retornado por tzname(dt) é gerado a partir do valor de offset do seguinte modo: Se offset é timedelta(0), o nome é “UTC”, caso contrário é uma string no formato UTC±HH:MM, na qual ± é o sinal do offset, HH e MM são dois dígitos de offset.hours e offset.minutes respectivamente.

Alterado na versão 3.6: Nome gerado de offset=timedelta(0) é agora simplesmente ‘UTC’, não ‘UTC+00:00’.

timezone.dst(dt)

Sempre retorna None.

timezone.fromutc(dt)

Retorna dt + offset. O argumento dt deve ser uma instância datetime consciente, com tzinfo definida para self.

Atributos de classe:

timezone.utc

O fuso horário UTC, timezone(timedelta(0)).

Comportamento de strftime() e strptime()

Todos os objetos date, datetime e time dão suporte ao método strftime(format), para criar uma string representando o tempo sob o controle de uma string de formatação explícita.

Em recíproca, o método de classe datetime.strptime() cria um objeto datetime a partir de uma string representando a data e a hora e uma string de formatação correspondente.

O tabela abaixo fornece uma comparação de alto nível de strftime() versus strptime():

strftime

strptime

Uso

Converte objeto para uma string conforme um formato fornecido

Interpreta uma string como um objeto datetime dado um formato correspondente

Tipo de método

Método de instância

Método de classe

Método de

date; datetime; time

datetime

Assinatura

strftime(format)

strptime(date_string, format)

Códigos de formatação para strftime() e strptime()

A seguir é exibida uma lista de todos os códigos de formatação que o padrão C de 1989 requer, e eles funcionam em todas as plataformas com implementação padrão C.

Diretiva

Significado

Exemplo

Notas

%a

Dias da semana como nomes abreviados da localidade.

Sun, Mon, …, Sat (en_US);
So, Mo, …, Sa (de_DE)

(1)

%A

Dia da semana como nome completo da localidade.

Sunday, Monday, …, Saturday (en_US);
Sonntag, Montag, …, Samstag (de_DE)

(1)

%w

Dia da semana como um número decimal, onde 0 é domingo e 6 é sábado.

0, 1, …, 6

%d

Dia do mês como um número decimal com zeros a esquerda.

01, 02, …, 31

(9)

%b

Mês como nome da localidade abreviado.

Jan, Feb, …, Dec (en_US);
Jan, Feb, …, Dez (de_DE)

(1)

%B

Mês como nome completo da localidade.

January, February, …, December (en_US);
janeiro, fevereiro, …, dezembro (pt_BR)

(1)

%m

Mês como um número decimal com zeros a esquerda.

01, 02, …, 12

(9)

%y

Ano sem século como um número decimal com zeros a esquerda.

00, 01, …, 99

(9)

%Y

Ano com o século como um número decimal.

0001, 0002, …, 2013, 2014, …, 9998, 9999

(2)

%H

Hora (relógio de 24 horas) como um número decimal com zeros a esquerda.

00, 01, …, 23

(9)

%I

Hora (relógio de 12 horas) como um número decimal com zeros a esquerda.

01, 02, …, 12

(9)

%p

Equivalente da localidade a AM ou PM.

AM, PM (en_US);
am, pm (de_DE)

(1), (3)

%M

Minutos como um número decimal, com zeros a esquerda.

00, 01, …, 59

(9)

%S

Segundos como um número decimal, com zeros a esquerda.

00, 01, …, 59

(4), (9)

%f

Micro-segundos como um número decimal, com zeros a esquerda.

000000, 000001, …, 999999

(5)

%z

Diferença UTC no formato ±HHMM[SS[.ffffff]] (string vazia se o objeto é ingênuo).

(vazio), +0000, -0400, +1030, +063415, -030712.345216

(6)

%Z

Nome do fuso horário (string vazia se o objeto é ingênuo).

(vazio), UTC, GMT

(6)

%j

Dia do ano como um número decimal, com zeros a esquerda.

001, 002, …, 366

(9)

%U

Número da semana do ano (Domingo como o primeiro dia da semana) como um número decimal, com zeros a esquerda. Todos os dias em um ano novo precedendo o primeiro domingo são considerados como estando na semana 0.

00, 01, …, 53

(7), (9)

%W

Número da semana do ano (Segunda-feira como o primeiro dia da semana) como um número decimal. Todos os dias em um ano novo precedendo a primeira segunda-feira são considerados como estando na semana 0.

00, 01, …, 53

(7), (9)

%c

Representação de data e hora apropriada da localidade.

Tue Aug 16 21:30:00 1988 (en_US);
Di 16 Aug 21:30:00 1988 (de_DE)

(1)

%x

Representação de data apropriada de localidade.

08/16/88 (None);
08/16/1988 (en_US);
16.08.1988 (de_DE)

(1)

%X

Representação de hora apropriada da localidade.

21:30:00 (en_US);
21:30:00 (de_DE)

(1)

%%

Um caractere literal '%'.

%

Diversas diretivas adicionais não necessárias pelo padrão C89 são incluídas para conveniência. Estes parâmetros todos correspondem a valores de datas na ISO 8601.

Diretiva

Significado

Exemplo

Notas

%G

Ano ISO 8601 com o século representando o ano que a maior parte da semana ISO (%V).

0001, 0002, …, 2013, 2014, …, 9998, 9999

(8)

%u

Dia de semana ISO 8601 como um número decimal onde 1 é segunda-feira.

1, 2, …, 7

%V

Semana ISO 8601 como um número decimal, com segunda-feira como o primeiro dia da semana. A semana 01 é a semana contendo o dia 4 de Janeiro.

01, 02, …, 53

(8), (9)

Esses podem não estar disponíveis em todas as plataformas quando usados com o método strftime(). As diretivas de ano ISO 8601 e de semana ISO 8601 não são intercambiáveis com as diretivas de número do ano e da semana acima. Chamar strptime() com diretivas ISO 8601 incompletas ou ambíguas irá levantar um ValueError.

O conjunto completo de códigos de formatação suportados varia através de plataformas, porque o Python chama a função C strftime() da biblioteca na plataforma, e variações de plataforma são comuns. Para ver o conjunto completo de códigos de formatação suportados na sua plataforma, consulte a documentação de strftime(3).

Novo na versão 3.6: %G, %u e %V foram adicionados.

Detalhes técnicos

Falando de forma abrangente, d.strftime(fmt) atua como time.strftime(fmt, d.timetuple()) do módulo time, apesar que nem todos os objetos suportam um método timetuple().

Para o método de classe datetime.strptime(), o valor padrão é 1900-01-01T00:00:00.000: quaisquer componentes não especificados no formato da string serão puxados do valor padrão. 4

Usar datetime.strptime(date_string, format) é equivalente a:

datetime(*(time.strptime(date_string, format)[0:6]))

exceto quando a formatação inclui componentes menores que 1 segundo, ou informações de diferenças de fuso horário, as quais são suportadas em datetime.strptime, mas são descartadas por time.strptime.

Para objetos time, o código de formatação para ano, mês, e dia não deve ser usado, devido ao fato que objetos time não possuem tais valores. Se eles forem usados de mesmo assim, 1900 é substituído pelo ano, e 1 pelo mês e dia.

Para objetos date, os códigos de formatação para horas, minutos, segundos, e microssegundos não devem ser usados, como objetos date não tem tais valores. Se eles forem mesmo assim, 0 é substituído no lugar deles.

Pela mesma razão, o tratamento de formatação de strings contendo pontos de código Unicode que não podem ser representados no conjunto de caracteres da localidade atual também é dependente da plataforma. Em algumas plataformas, tais pontos de código são preservados intactos na saída, enquanto em outros strftime pode levantar UnicodeError ou retornar uma string vazia ao invés.

Notas:

  1. Devido ao fato que o formato depende da localidade atual, deve-se tomar cuidado ao fazer suposições sobre o valor na saída. Ordenamento de campos irá variar (por exemplo, “mês/dia/ano” versus “dia/mês/ano”), e a saída pode conter caracteres Unicode que foram codificados usando a codificação padrão da localidade (por exemplo, se a localidade atual é ja_JP, a codificação padrão pode ser qualquer uma dentre eucJP, SJIS, ou utf-8; utilize locale.getlocale() para determinar a codificação atual da localidade).

  2. O método strptime() pode interpretar anos no intervalo [1, 9999], mas anos < 1000 devem ser preenchidos com 0 para ter 4 dígitos de extensão.

    Alterado na versão 3.2: Em versões anteriores, o método strftime() era restrito a anos>= 1900.

    Alterado na versão 3.3: Na versão 3.2, o método strftime() era restrito a anos >= 1000.

  3. Quando usado com o método strptime(), a diretiva %p apenas afeta as horas na saída se a diretiva %I é usada para analisar a hora.

  4. Ao contrário do módulo time, o módulo datetime não suporta segundos bissextos.

  5. Quando usado com o método strptime(), a diretiva %f aceita de 1 a 6 dígitos, e nenhum preenchimento a direita. %f é uma extensão para o conjunto de formatação de caracteres no padrão C (mas implementado separadamente em objetos datetime, e portando sempre disponível).

  6. Para um objeto ingênuo, os códigos de formatação %z e %Z são substituídos por strings vazias.

    Para um objeto consciente:

    %z

    utcoffset() é transformado em uma string no formato ±HHMM[SS[.ffffff]], onde HH é uma string de 2 dígitos fornecendo a diferença de UTC em horas, MM é uma string de 2 dígitos fornecendo a diferença de UTC em minutos, SS é uma string de 2 dígitos fornecendo a diferença de UTC em segundos e ffffff é uma string de 6 dígitos fornecendo a diferença de UTC em micro segundos. A parte ffffff é omitida quando a diferença é um número inteiro de segundos, e as partes ffffff e SS são omitidas quando a diferença é um número inteiro de minutos. Por exemplo, se utcoffset() retorna timedelta(hours=-3, minutes=-30), %z é substituído pela string '-0330'.

    Alterado na versão 3.7: A diferença UTC não é restrita a um número completo de minutos.

    Alterado na versão 3.7: Quando a diretiva %z é fornecida para o método strptime(), as diferenças UTC podem ter um separador de vírgula como um separador entre horas, minutos e segundos. Por exemplo, '+01:00:00' será interpretado como uma diferença de uma hora. Adicionalmente, fornecer 'Z' é idêntico a '+00:00'.

    %Z

    Em strftime(), %Z é substituído por uma string vazia se tzname() retorna None; caso contrário %Z é substituído pelo valor retornado, o qual deve ser uma string.

    strptime() aceita apenas certos valores para %Z:

    1. qualquer valor em time.tzname para a localidade da sua máquina

    2. os valores codificados UTC e GMT

    Então alguém vivendo no Japão pode ter JST, UTC, e GMT como valores válidos, mas provavelmente não EST. Isso levantará ValueError para valores inválidos.

    Alterado na versão 3.2: Quando a diretiva %z é fornecida para o método strptime(), um objeto consciente datetime será produzido. O tzinfo do resultado será definido para uma instância timezone.

  7. Quando for usado com o método strptime(), %U e %W são usados apenas em cálculos quando o dia da semana e o ano do calendário (%Y) são especificados.

  8. Similar a %U e %W, %V é usado apenas em cálculos quando o dia da semana e o ano ISO (%G) são especificados em uma string de formatação strptime(). Perceba também que %G e %Y não são intercambiáveis.

  9. Quando for usado com o método strptime(), o zero precedente é opcional para formatos %d, %m, %H, %I, %M, %S, %J, %U, %W, e %V. O formato %y não requer um zero precedente.

Notas de Rodapé

1

Se, isto é, nós ignoramos os efeitos da Relatividade

2

Isso combina com a definição do calendário “proléptico Gregoriano” no livro Cálculos Calendáricos de Dershowitz e Reingold, onde ele é o calendário base para todas as computações. Veja o livro para algoritmos para conversão entre ordinais proléptico Gregoriano e muitos outros sistemas de calendário.

3

Veja O guia para a matemática de calendário ISO 8601 de R. H. van Gent para uma boa explicação.

4

Passar datetime.strptime('Feb 29', '%b %d') irá falhar como 1900 não é um ano bissexto.